O QUE VOCÊ FARIA SE OS DADOS DA SUA EMPRESA FOSSEM ROUBADOS?

Masked man using laptop in dark room poi
cnn.jpg
globo.jpg

Em 2021 grandes empresas começaram a sofrer ataques hackers, como por exemplo a Renner, Americanas, Porto Seguro, EMS, CVC, Sebrae, entre outras empresas e até mesmo o Governo teve invasões em suas redes. A tendência de crescimento segundo o Gartner é que até 2025, pelo menos 60% das empresas no Mundo tenham estratégias, cronogramas ou já estão de acordo com o SASE.

A recomendação desse modelo de segurança foi feita pelo Gartner em 2019, após o início do distanciamento social — decorrente da Covid-19 — no momento em que as empresas adotaram o modelo home office. Com esta nova arquitetura, a combinação do uso de Cloud com home office, as redes ficaram vulneráveis a ataques hackers. Por isso o Gatner criou um conceito de segurança abrangendo as novas topologias do novo normal.

epoca.jpg

O fórum econômico mundial ressalta questões de cibersegurança interligada a responsabilidades sustentáveis

"risco cibernético é o risco de sustentabilidade mais imediato e financeiramente material que as organizações enfrentam hoje. Aqueles que não implementarem uma boa governança em segurança cibernética, usando ferramentas e métricas apropriadas, serão menos resilientes e menos sustentáveis"

O conceito SASE, desenvolvido pelo Gartner, resolve todos os desafios dos executivos comentado anteriormente. Sendo este, baseado em nuvem, contendo todas as funções de segurança para topologias que utilizam multicloud, usuários remotos em qualquer lugar do Mundo (Work From Anywhere), configuração de segurança com várias funções feitas pelos fabricantes, plug&play e independente do uso de hardwares. Em resumo, SASE foi desenvolvida para solucionar problemas da cibersegurança, sendo uma estrutura que acompanha as evoluções de tecnologias de segurança e conectividade de rede em uma única plataforma entregue na nuvem para uma conectividade segura, rápida e escalável. Um conceito que traz para empresas menos complexidade e uma considerável redução de custos, incluindo dashboards completos e unificados.

Os executivos de tecnologia enfrentam hoje as suas empresas se movendo para um novo cenário, necessidade de segurança deste cenário, aumento significativo de ataques nestes ambientes, uma mescla de tecnologias e fabricantes para proteger o ambiente, falta de profissionais preparados para este novo cenário e agora desabastecimento de hardware.

Mas para quem
é SASE?

Pequenas,
Médias e
Grandes empresas.

PC (2).jpg

“a pandemia impôs às empresas, a necessidade de serem rápidas e escaláveis e a tecnologia Cloud conseguiu atender estas demandas e ainda com colaboradores remotos. Estes dois pontos, cloud e uso remoto em larga escala, dificilmente foi contemplado nestas estratégias.

Isto nos leva a crer que as empresas em sua maioria, estão com brechas de segurança em suas redes, prova disto é o aumento expressivo de ataques com sucesso ocorrido nos últimos meses.

Somos parceiros de uma das maiores empresas especializada em SASE, a Versa Networks, portanto estamos prontos para apoiar o mercado nesta transformação da segurança das empresas.”

Diz Paulo Cezar (PC) sócio diretor Secmon Tecnologia

Atualmente, as redes tradicionais envolvendo LAN, WAN, WLAN, Firewalls etc. não atende as topologias pós-pandemia pois não foram desenvolvidas para aplicação de redes multiclouds e usuários remotos. Além disto, o usuário que busca atender os “buracos” na segurança dessas novas redes, começam a construir uma rede com várias tecnologias, fabricantes, Dashboards, SLA´s e profissionais especializados em diversas tecnologias.

Sem contar que os decisores de tecnologia nas empresas, enfrentam outros problemas como a necessidade de aumentar o headcount, para ter profissionais especializados em várias tecnologias ou aumentar os ganhos destes profissionais se houver algum profissional que se especializou durante a pandemia e ainda criar políticas de retenção num mercado extremamente contratante.

Ou seja, a vida do CISO ou do CTO no pós-pandemia, se tornou ainda mais desafiador. Para atender a transformação da empresa que começa a operar com multiclouds e colaboradores remotos, das diversas tecnologias aplicadas para proteger esta transformação com segurança, escassez de profissionais experientes nestas novas topologias, estamos diante da maior crise de abastecimento de microchip na história da tecnologia. Os fabricantes atualmente, não informam os prazos de entrega dos hardwares devido ao desabastecimento de microchip, interrompendo o fornecimento de hardwares para o mercado mundial.

A Secmon já está preparada para este novo cenário e em conjunto com a Versa Networks, que conta com 90 pontos de presença inclusive no Brasil, uma Cloud atendendo o conceito SASE já está configurada contemplando Secure Web Gateway, Security Access, Zero Touch Networking Access e Firewall as a Services. Sem hardware, sem equipes maiores, sem falha na configuração, único SLA, segurança para devices em todo o Mundo, escalável e econômico.

SASE SSE.png
Logo Secmon Site.png

Secmon Tecnologia 

CNPJ 16.776.899/0001-79